Egressas do PPGEISU têm trabalho selecionado para o Prêmio Profissional Virgínia Bicudo

O prêmio reconhece as mais destacáveis práticas antirracistas na área da psicologia


As mestras em Estudos Interdisciplinares Sobre a Universidade Anne Bittencourt Santos e Silva e Vitailma Conceição Santos venceram o Prêmio Profissional Virgínia Bicudo. A cerimônia de premiação aconteceu durante o IX Seminário Nacional de Psicologia e Direitos Humanos, realizado em Brasília, no Distrito Federal, nos últimos 27 e 28 de maio. Promovido pelo Conselho Federal de Psicologia, o prêmio reconhece as mais destacáveis praticas antirracistas na área da psicologia.


Com o artigo “Quilombo Sankofa: uma experiência regada pela ética do cuidado no acolhimento de pessoas negras”, o trabalho realizado pela dupla entre 2020 e 2021 projetou luz para a Psicologia e as Relações Étnico-Raciais fundamentadas nos Direitos Humanos. Inserida no Projeto Quilombo Ankh, idealizado pela Profa. Dra. Carla Fernanda de Lima, da Universidade Federal do Delta do Parnaíba, uma equipe multiprofissional de saberes e práticas colocou em ação a promoção de vivências de acolhimento, saúde e suporte social de pessoas negras em contexto de pandemia em plataformas online.



Conforme a Anne Bittencourt, o trabalho consistiu em um relato de experiência dessa proposta em saúde vivida, mais especificamente, no subgrupo Quilombo Sankofa. “A experiência se configurou como uma prática antirracista, com o objetivo de contribuir para a ampliação de literatura sobre práticas em psicologia no âmbito das relações sociais, e no desenvolvimento de autonomia entre pessoas a partir da experiência do quilombo”, destacou.


Para Vitailma Conceição Santos, a conquista do prêmio por duas mulheres negras, mestras e atuantes na psicologia, representa o reconhecimento que motiva a consolidação de mais projetos e ações dessa natureza, voltadas para as práticas que visam eliminar o racismo nas estruturas sociais. “Estamos gratas e motivadas a seguirmos desenvolvendo trabalhos que contribuam para que tenhamos cada vez mais práticas antirracistas na área da psicologia”, comemora.


As egressas do Programa de Pós-Graduação em Estudos Interdisciplinares (PPFEISU-IHAC/UFBA) foram orientadas pelas Profas. Dras. Sônia Maria Rocha Sampaio e Georgina Gonçalves dos Santos, docentes permanentes do Programa, e são membras do Grupo de Pesquisa Observatório da Vida Estudantil (OVE).


Prêmio Profissional Virgínia Bicudo


Em 2021, o Conselho Federal de Psicologia lançou o Prêmio Profissional Virgínia Bicudo como forma de enaltecer o pioneirismo e a valiosa contribuição desta intelectual para a Psicologia brasileira. A iniciativa pretende fomentar a divulgação de estudos e ações exitosas no campo da Psicologia e sua interface com as questões raciais. O prêmio, que será realizado anualmente, por força de resolução assinada em 28/05/2022, tem como objetivo identificar, valorizar e divulgar estudos e ações de psicólogas(os) e coletivos que envolvam a Psicologia e as Relações Étnico-Raciais fundamentadas nos Direitos Humanos e que tenham impacto na saúde mental, na redução das desigualdades sociais e no posicionamento antirracista.


Virgínia Leone Bicudo foi a primeira mulher a fazer análise na América Latina, a primeira estudiosa a redigir uma tese sobre relações raciais no Brasil e também a primeira psicanalista não médica no país. Bicudo integrou a primeira gestão do Conselho Federal de Psicologia, sendo a ata de sua posse na vice-presidência da autarquia datada de dezembro de 1973. A autora, através dos seus diversos pioneirismos, abriu um campo de estudos e debates sobre relações raciais ainda hoje extremamente relevantes e necessários.


Fotos: Divulgação

16 visualizações0 comentário